Blog duma gaja... bem... esquisita, estranha, tarada:) Enfim... queer!

6.30.2007

Por cá

"A rapariga morta" tem qualquer coisa de Thelma e Louise dos nossos tempos, na forma como retrata a resiliência das mulheres cruzada com as suas estranhas alianças. Mas é também uma câmara e direcção de actores interessante e uma narrativa desafiadora.
"Dear Wendy" é a cara de Lars von Trier, mas com mais adereços, alegria e juventude. De resto parece-me, por enquanto, uma reflexão importante sobre as estratégias de empoderamento grupal/comunitário não-violentas e seus limites, principalmente quando confrontadas com a falta de respeito de autoridades/governos. E também uma reflexão mais geral sobre como todos os instrumentos de poder tendem inevitavelmente a ser exercitados, quer se tratem de armas, textos, dinheiro, etc; ou seja, sobre como o respeito se conquista numa luta diária, violenta, que nunca poderá ser pacifista/passiva, no sentido em que nunca poderá dispensar o uso de instrumentos de poder. Senão, acontece-nos o que acontece às nêsperas...
Por fim, a colecção Berardo - um bluff... Compre-se durante vinte anos umas dezenas de quadros (o mais "vistosos", grandes e coloridos, possível) da família de diferentes movimentos importantes mas de autores secundários/de terceira linha, junte-se-lhes fotos (mais baratinhas) e arte pop (também mais baratinha, de mais fácil leitura para o povinho e também "cheia de cor"), e meia dúzia de obras relevantes (meia-dúzia: um Francis Bacon, um Yves Klein, um Mondrian, uma Louise Bourgeois....) e está feito! Temos uma colecção para encher o olho aparentemente superior à de qualquer outra instituição portuguesa e podemos fazer acordos fantásticos com o Governo fazendo-nos passar por património nacional.
Interessante, só mesmo algumas obras portuguesas, mas devo dizer que ainda não fui à Gulbenkian ver os 50 anos de portuguesinhos deles...
E a videobiografia de Abramovic (por mera fixação pessoal minha...) e uma boneca de Niki de Saint Phalle (por desmascarar o marketing e a falta de originalidade de muito do trabalho de Joana Vasconcelos:)...
Enfim, realmente em terra de cegos...

1 Comments:

Blogger Andre said...

Tb me parece que o Joe deveser um blufff dos mais previsíveis.... E daqueles para povo ver e aprovar.
Eu achei alguma graça ao Wendy pelo que dizes das questões do poder, e o questionar, por exemplo, a força policial. Mas achei fraquito.

Olha, diverte-te: http://www.oinsurgente.org/2007/06/26/bem-no-alvo/#comment-27173

10:58

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home